27.03.17

Conheça as etapas do Plano de Candidatos à Companhia de Jesus

Processo de ingresso na Ordem religiosa contempla três modalidades com convivências comuns

Conheça as etapas do Plano de Candidatos à Companhia de Jesus

O Plano de Candidatos é uma fase muito importante no processo de ingresso na Companhia de Jesus. Em 2017, os vocacionados participam de três etapas de convivência comum: Loyola, Montserrat e Manresa. O coordenador do Plano de Candidatos ao Noviciado da Província dos Jesuítas do Brasil (BRA) e diretor do Centro MAGIS Burnier (Brasília/DF), irmão Ubiratan de Oliveira Costa, conhecido como Bira, explica que nesses momentos são oferecidas ‘ferramentas’ que ajudam o candidato a ir trilhando, refletindo e confrontando consigo as motivações que o levaram a dar o primeiro passo em resposta ao chamado de Deus.

“Acredito que o nosso objetivo é ajudar o jovem inquieto vocacionalmente a crescer na consciência e na liberdade para responder ao chamado à vida religiosa na Companhia de Jesus. O plano possibilita ao jovem a oportunidade de um discernimento vocacional para confirmar e decidir-se a pedir ingresso ou não na Ordem religiosa”, afirma. O jesuíta fala que cada etapa faz alusão a um momento da vida de Santo Inácio, o que mais marcou o seu itinerário de seguimento a Cristo. Ele acrescenta que o Plano de Candidatos ajuda o jovem a descobrir onde ele pode servir melhor e feliz. “Se for na Companhia de Jesus, ótimo, teremos jesuítas animados para continuar o projeto de Jesus Cristo. Se for em outro caminho, também ótimo, que possa ser boa pessoa na vocação a que responder”, acredita.

Esse ano, o Plano de Candidatos da Companhia de Jesus teve início com os Exercícios Espirituais de Carnaval, realizados na Casa de Retiros Vila Kostka, em Itaici (Indaiatuba/SP), em fevereiro. Após a experiência, o grupo de jovens seguiu para Santa Rita do Sapucaí (MG), onde participou, até o dia 23 de março, da convivência Loyola. Agora, os jovens foram destinados a algumas residências jesuíticas pelo Brasil para dar continuidade ao discernimento vocacional. “Na residência, o assistente é o responsável pelo candidato, podendo contar com outro jesuíta que seja o acompanhante espiritual e vocacional, sob a coordenação e sintonia com o coordenador do Plano de Candidatos”, ressalta Ir. Bira.

OS VOCACIONADOS

Em 2017, o grupo de vocacionados é bem diverso, pois os jovens vêm de várias partes do Brasil. Segundo Ir. Bira, “eles são maduros e participativos, animados e bem criativos, todos esses elementos são pontos que contribuem para o bom relacionamento e convivência”. O jesuíta ressalta também que os candidatos vieram de ricas experiências pastorais e de vida eclesial enraizada, além de ampla formação. “É uma turma participativa e de muita reflexão, curiosa e de ótimas colocações nas formações. A maior parte do grupo tem graduação e experiências no mundo acadêmico, jovem com mestrado em Ciências da Religião e outros com o técnico”, compartilha. Para Ir. Bira, são jovens de boa convivência, partilha e companheirismo. “Eles estão abertos ao novo e desejosos de mergulhar no mais íntimo para responder com mais clareza ao chamado do Cristo amigo”.

CONHECENDO AS ETAPAS

A Loyola, primeira etapa já vivenciada pelos jovens, teve como objetivo integrar o grupo de candidatos. Segundo Ir. Bira, essa fase colabora para o autoconhecimento, para a introdução à vida espiritual, para o conhecimento maior da vida de Inácio e para o reconhecimento dos motivos e motivações para a vida religiosa. Além disso, proporciona estudos da história da vida religiosa, da vocação do jesuíta irmão, da missão da Companhia de Jesus no Brasil, entre outros assuntos.

O jesuíta conta que os candidatos ainda tiveram bastante contato pastoral na Paróquia de Santa Rita. “Os jovens saiam dois a dois e passavam o fim de semana nas comunidades, convivendo com o povo, como já disse o Papa Francisco: ‘Sentindo o cheiro das ovelhas’. Durante a semana, por meio da parceria com a Educação Cristã da ETE FMC (Escola Técnica de Eletrônica Francisco Moreira da Costa), os vocacionados tiveram contato com os alunos e organizaram atividades junto à pastoral da instituição”.

Ir. Bira conta que a novidade da experiência Loyola deste ano é que alguns jesuítas foram convidados para participar da vivência. “Com isso, os candidatos tiveram a oportunidade de ir conhecendo a diversidade e as particularidade dos membros da Companhia de Jesus. Em avaliação, a passagem dos jesuítas foi o ponto mais destacado positivamente pelos jovens”, partilha.

A segunda etapa do Plano de Candidatos é a Montserrat. Nessa experiência, os candidatos têm a oportunidade de conhecer o noviciado e a dinâmica da vida do noviço jesuíta. “Nesse período, são marcadas conversas com o mestre de noviços. Essa experiência, com duração de oito dias, acontece no segundo semestre (julho), em Feira de Santana (BA), no Noviciado Nossa Senhora da Graça”, explica o jesuíta.

A terceira etapa é a experiência Manresa, que tem início com os Exercícios Espirituais de oito dias. “Nesse momento, teremos as entrevistas com os jesuítas, as missões e a formação humana e espiritual. Essa etapa, que tem duração de um mês e acontece em Santa Rita do Sapucaí (MG), já é em vista do pedido de entrada ao Noviciado 2018”, finaliza.

Fonte: Jesuítas Brasil

Utilizamos cookies para melhorar sua experiência em nossos sites e fornecer funcionalidade de redes sociais. Se desejar, você pode desabilitá-los nas configurações de seu navegador. Conheça nossa Política de Privacidade.

Concordo